Dan Peters no Nirvana – A breve passagem do baterista pela banda

Dan Peters no Nirvana – A breve passagem do baterista pela banda

Estava indo tudo muito bem com Dan Peters no Nirvana. A banda havia estreado a nova formação no Motorsports International Garage de Seattle, no dia 22 de Setembro de 1990. No dia 23, Dan participava de uma sessão de fotos como baterista para a revista Sounds, uma turnê pelo Reino Unido se aproximava e a Geffen Records estava prestes a pôr as mãos no Nirvana. Mas…

A curta carreira de Dan Peters no Nirvana

Tudo o que foi dito acima era o que sabia Dan Peters. Quando o Nirvana tocou no Motorsports International Garage, Dave Grohl estava lá, assistindo do fundo do palco e, não era a toa. Ele estava assistindo a sua provável futura banda. Durante a sessão para a revista Sounds, Dave estava lá. Ele estava hospedado na casa de Krist (onde as fotos para a revista foram feitas).

Kurt e Krist descobriram o baterista do Scream através de Buzz Osborne, do The Melvins. Para a infelicidade de Dan, Dave ficou disponível logo que ele entrou no Nirvana. Peters lembra da situação constrangedora com a banda:

“Eu só queria que eles me dissessem o que estava acontecendo. Descobri um monte de coisas engraçadas sobre isso tudo depois. Eu toquei em uma festa no Motorsports. Dave estava lá no fundo sentado. No dia seguinte fizemos todas essas fotos para a Sounds. Sentado, em uma entrevista e fazendo papel de idiota. Nenhum desses malditos caras tinha bolas para me dizer. Isso é o que me irrita. Não preciso me sentir como um idiota. Estou com o Mudhoney. Fodam-se vocês.”

Era estranho o modo como Kurt e Krist lidavam com essas saídas de membros do Nirvana. Kurt particularmente não encarava o problema de frente, ele o ignorava. O Nirvana havia encontrado um ótimo candidato a baterista definitivo? Sim! Mas se Kurt pudesse evitar de falar com Dan Peters a respeito, ele evitaria.
Sobre a participação de Dan no Nirvana, Kurt disse a revista Push:

“Não é que ficamos infelizes com a bateria de Dan. Só que Dave tem qualidades que combinam mais com as nossas necessidades. Ele cuida dos vocais de apoio para começar. Nós ficamos maravilhados quando o vimos tocando com o Scream e concordamos que iríamos pedir-lhe para se juntar ao Nirvana se tivéssemos a chance. Ironicamente, essa chance aconteceu uma semana depois de Danny ter entrado. Era uma situação estressante, mas agora parece que Dan vai se juntar ao Mudhoney e eles continuarão como antes. A ideia de que a banda parasse por causa de Dan ter se juntado a nós nos causou uma grande angústia”

Mas por outro lado, uma versão diferente dos fatos é contada por Dan Peters, que diz:

“Nunca estive perto de deixar o Mudhoney. Nós (Nirvana) deveríamos fazer uma turnê pela Inglaterra com L7 depois que Kurt e Krist voltaram a negociar com as gravadoras. Kurt me ligou e disse: ‘Parece que vamos assinar com a Geffen.’ Eu perguntei ‘Bem, o que há com essa viagem para a Inglaterra?’. Ele disso algo como ‘É por isso que eu estou te ligando. Eu só queria que você soubesse que conseguimos outro baterista, nós estamos com Dave’. Eu não entendi nada e ele: ‘Bem, falo com você mais tarde’, e desligou. Eu estava mais aliviado do que qualquer coisa – não sentia exatamente que tinha uma ligação com esses caras”

Sabendo disso você pode pensar “Wow, Kurt e Krist foram muito ‘pau-no-c*’ com o pobre Danny por não avisá-lo que Dave havia aceitado o convite para entrar no Nirvana”. De fato, quando você se imagina tocando em uma banda com seu substituto assistindo, o desconforto é inevitável. Imaginando-se em uma sessão de fotos/entrevista onde você é totalmente dispensável e é o único que não está sabendo disso deixa as coisas ainda piores. Mas agora pense comigo… Você deixaria um baterista como Dave Grohl escapar? Como seriam as coisas com Dan Peters no Nirvana no futuro?

“I’m Now: The Story of Mudhoney”

Confira um trecho do documentário “I’m Now: The Story of Mudhoney”, onde Dan Peters lembra de sua passagem pelo Nirvana. Documentário extremamente indispensável pra quem é fã de Mudhoney e da cena musical de Seattle. Ative a legenda e confira:

"Boddah"

Fã de Nirvana desde a primeira vez que o peso de "Bleach" entrou por meus ouvidos. Antes de tudo, um curioso insaciável. Pesquiso para aprender, escrevo para compartilhar o que aprendi."A curiosidade matou o gato, mas a satisfação o trouxe de volta!"
Fechar Menu