Nirvana no Graffitti – 30 de Setembro de 1991

Nirvana no Graffitti – 30 de Setembro de 1991

No dia 30 de setembro de 1991, a cidade de Pittsburgh recebia o Nirvana no Graffitti Café Pub and Showcase. Confira:

Graffitti Café Pub and Showcase

Em 1983, Tony DiNardo deu a Pittsburgh um novo espaço que permitiu que músicos, artistas nacionais e fãs de música de Pittsburgh se reunissem. Modelado a partir de clubes como Bottom Line e o Bitter End de Nova York e o Troubadour em Los Angeles, o Graffitti Café Pub and Showcase abriu no nº 4615 da Baum Boulevard, no bairro de North Oakland, em Pittsburgh, em dezembro de 1983.

A cena musical em Pittsburgh expandiu bastante com o Graffitti. O pub oferecia uma ampla gama de artistas nacionais e regionais em seu espaço para 500 pessoas com uma grande pista de dança, seu amplo palco e seus prêmios anuais, “Graffitti Rock Challenge”. Por 17 anos foi o melhor clube da região de Pittsburgh e um dos melhores do país. O Graffitti foi classificado entre as dez melhores casas de shows nos EUA pela Performance Magazine e número 1 pelo som ao vivo em ambiente para shows pela EQ.

Entre as mais de 1.500 bandas que passaram pelo Graffitti desde a abertura em 1983 estão; Red Hot Chile Peppers, Green Day, Joan Jett, R.E.M, Meat Puppets, Sonic Youth, Screaming Trees, Crash Test Dummies, Testament, White Zombie, Bad Religion, Type O Negative e MudHoney.

Nirvana-no-Graffitti-clube

Em janeiro de 2000 Marlo Grande, proprietário do imóvel e primo de Tony DiNardo, vendeu seu negócio e o prédio que abrigava o Graffiti, quando decidiu se aposentar na Carolina do Sul. David “Richie Rich” Scaife, filho do bilionário proprietário do jornal Pittsburgh Tribune-Review, comprou todo o prédio para abrigar sua coleção pessoal de carros de luxo. O último show no Graffitti foi realizado em 25 de março de 2000. Forçado a deixar o prédio, o Graffitti fechou suas portas para sempre. O paraíso musical tornou-se um estacionamento particular. Como Dinardo disse em uma entrevista “O paraíso foi pavimentado para dar lugar à um estacionamento”. Os clubes Rosebud e Metropol no distrito de Strip assumiram o papel de clubes de shows de Pittsburgh.

Nirvana no Graffitti

No sábado 30 de setembro de 1991 o Nirvana chegava à Pittsburgh Nirvana no Graffitti - flyerpara mais um show divulgando seu recém-lançado Nevermind. O Das Damen foi a banda de abertura. O show do Nirvana no Graffiti foi uma das noites mais infames da história do clube.

O setlist do show do Nirvana no Graffiti era “Jesus Wants Me For A Sunbeam”, “Aneurysm”, “Drain You”, “Smells Like Teen Spirit”, “School”, “Floyd The Barber”, “About A Girl”, “Breed”, “Polly”, “Sliver”, “D7”, “Territorial Pissings”, “Blew” e “Been A Son”.

Confira o áudio do show:

Pós-show – Nirvana no Graffiti

Toda a ferocidade do desempenho da banda na frente de uma platéia mais tarde se espalharia no backstage. O promotor Mike Elko disse que alguém da equipe da banda, que por acaso era a esposa de Krist Novoselic na época, Shelli Hyrkas, estava tentando enganar o clube em relação à porcentagem de vendas de camisetas. Algumas “palavras indelicadas” foram trocadas entre Elko e Shelli. Scott Mervis do Pittsburgh Post-Gazette lembra:

"A banda estava em desvantagem numérica e não estava em condições de lutar, então Cobain descontou sua frustração no sofá, riscando uma caixa de fósforos. O sofá, ou apenas queimava ou ardia em chamas espalhando o fogo em outras coisas, depende pra quem você pergunta. O fogo era grande o suficiente para os bombeiros chegarem e prender o tour manager. O dono do Graffiti, DiNardo decidiu não apresentar queixa, permitindo que a banda continuasse com coisas maiores e (temporariamente) melhores. Infelizmente o sofá, que provavelmente poderia ser vendido em leilão hoje, não sobreviveu"

Scott Mervis

Mais tarde Kurt diria em uma entrevista que o clube era para bandas como Huey Lewis e The News, e depois se perguntou: “O que eles sabem sobre o rock and roll?”. De acordo com o DJ da WXVX que apresentou o show, Harry Crytzer, o ex-gerente do Grafitti, Tony DiNardo, ainda se chateia quando lembrado do show.

Fotos – Nirvana no Graffiti

"Boddah"

Fã de Nirvana desde a primeira vez que o peso de "Bleach" entrou por meus ouvidos. Antes de tudo, um curioso insaciável. Pesquiso para aprender, escrevo para compartilhar o que aprendi."A curiosidade matou o gato, mas a satisfação o trouxe de volta.”

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta

Fechar Menu