Nirvana no Mississippi Nights – 16 de Outubro de 1991

Nirvana no Mississippi Nights – 16 de Outubro de 1991

O show do Nirvana no Mississippi Nights foi um dos mais caóticos da banda durante a carreira. Ele é também um dos mais procurados entre os fãs. Saiba mais sobre esse “show perdido” do Nirvana em 16 de outubro de 1991, em St. Louis, Missouri:

Nirvana no Mississippi Nights – O Clube

Localizado no nº 914 da First Street, as margens do rio Mississippi, em St. Louis, Missouri, o Mississippi Nights foi inaugurado em 1979. O local tinha capacidade para 1.000 pessoas e cerca de 99% dos shows organizados eram “all ages”, livre para todas as idades.

Nirvana no Mississippi Nights - O Clube

Por lá já passaram bandas como AC/DC, The Police, Dead Kennedys, Stray Cats, INXS, Stevie Ray Vaughan, Ramones, Slayer, Mercyful Fate, Black Flag, Accept, Anthrax, Metal Church, Red Hot Chili Peppers, Sonic Youth, Nuclear Assault, The Flaming Lips, Meat Puppets, The Exploited, Jane’s Addiction, Kreator, Pantera, Soundgarden, Alice in Chains e Fugazi. Mas é claro que muitas, eu disse MUITAS outras bandas já tocaram na casa. Pra se ter ideia da grandeza e da importância do lugar para a cena musical de St. Louis, as bandas citadas acima tocaram antes do Nirvana no Mississippi Nights, ou seja, até outubro de 1991. A casa esteve aberta até 19 de janeiro de 2007 então já dá pra ter uma noção da quantidade de grandes artistas que pisaram naquele palco. Alguns antes mesmo de serem grandes artistas.

Nirvana no Mississippi Nights – O Show

O show do Nirvana no Mississippi Nights estava marcado para a quarta-feira, 16 de outubro de 1991. A banda vinha tocando com alguns equipamentos emprestados da banda de abertura, o Urge Overkill, desde o show no Northern Lights e no First Avenue, em Minneapolis. No show do dia 12 de outubro, no Cabaret Metro de Chicago, eles haviam destruído parte de seus equipamentos, inclusive a bateria de Dave Grohl na esperança de que seu empresário os substituísse nas apresentações seguintes. Isso só teria acontecido a tempo do show do dia 17 de outubro, no Kansas Union Ballroom, Lawrence, Kansas.

O show do Nirvana no Mississippi Nights foi pra lá de “peculiar”. Alem do fato de usarem equipamentos emprestados, naquele dia em particular, Kurt Cobain estaria a fim de “treta”. De acordo com Blackie Onassis (John Rowan) que era baterista do Urge Overkill na época, durante todo o dia a galera do Nirvana estava brincando sobre a briga causada pelo Guns N’ Roses quando eles estiveram na cidade. Kurt teria dito que seria legal um incidente parecido se repetir no show do Nirvana. Teria dito que também queria começar uma briga, mas ninguém levou a sério.

A tal briga do Guns N’ Roses foi durante um show em St. Louis que aconteceu no dia 2 de julho de 1991, quando eles tocaram no Riverport Amphitheater. O show ia bem até que durante a décima musica do set, “Rocket Queen”, Axl Rose avistou alguém na platéia tirando fotos do show. Depois de pedir para os seguranças tirarem o fã do local e não ser atendido, Axl fala “Vou pegá-lo, porra!” e pula na multidão. Depois de arrancar a câmera do fotografo, atacar publico e seguranças, Axl foi levado de vola ao palco pela equipe do Guns. “Graças à segurança de merda, estou indo para casa”, disse Axl antes de jogar o microfone no chão e se retirar. A revolta gerada na platéia resultou em dezenas de fãs feridos. Axl Rose foi acusado de incitar o motim, mas se livrou da prisão ao embarcar para uma turnê europeia. Isso até 12 de julho de 1992, quando autoridades alfandegárias norte-americanas o prenderam no Aeroporto Internacional JFK, em cumprimento ao mandado do condado de St. Louis.

O incidente ficou famoso no mundo todo e é comentado até hoje. A cidade ganhou até uma “homenagem” da banda na seção de agradecimentos de seu álbum Use Your Illusion onde se lê “Fuck You, St. Louis”. Alem de Axl aparecer em algumas ocasiões com uma camiseta com a estampa “St. Louis Sucks” ou usar sarcasticamente um boné do time de beisebol St. Louis Cardinals no clipe de “Don’t Cry” (no mesmo clipe ele é visto com um boné do Nirvana. Aquele que ele queimou em público, em Toronto no Canadá em 1992).

Mas voltando ao show do Nirvana no Mississippi Nights, o baterista do Urge Overkill continua:

"Eles tinham tocado apenas 20 minutos de seu repertório, quando Dave Grohl veio correndo dizer que Kurt havia convidado todo o público a subir no palco porque havia muitas pessoas fazendo stage diving (mergulhando do palco). Saímos correndo para tentar salvar nossos equipamentos. Encontramos Krist e Kurt sentados na beira do palco, com cara de que não estavam entendendo nada, cercados por 500 pessoas. Tudo estava ficando fora de controle, e os donos do lugar chamaram a polícia. Quando a polícia apareceu, Krist fez um longo discurso pedindo calma e mandando todos de volta aos seus lugares e convenceu a polícia a não prender ninguém. O Nirvana então voltou a tocar. Até os policiais ficaram para assistir ao espetáculo. O que começou como o caos total terminou pacificamente. Isso mostra o interesse do público em ouvir Nirvana"

Blackie Onassis

De fato, já no início do show o público deu trabalho para os seguranças, que tentando controlá-los acabaram sendo provavelmente duros demais (ignorando os pedidos constantes da banda para “pegar leve” com os garotos). A maioria dos fãs naquela noite eram menores de 21 anos. O espaço do clube reservado aos maiores de 21 estava praticamente vazio. Do outro lado, os seguranças do Mississippi Nights tinham fama de serem “meatheads” (algo como “ratos de academia” se meu péssimo inglês não me engana). Krist Novoselic pegou o microfone e começou a falar sobre “como todos nós temos que amadurecer por um tempo e sentir mais do amor, e não a violência… não queremos ter que parar de tocar… “.

Mas a cena se repetiu mais umas quatro vezes. Em uma altura do show Kurt parou e gritou algo sobre um dos seguranças ter pisado em seu pedal de distorção enquanto tentava retirar um fã do palco. O pedal foi danificado. Assim que um pedal substituto foi encontrado, o show recomeçou, mas a multidão não era fácil de ser contida.
Quando a banda teve que parar de tocar pela quinta vez, Krist teria pedido ao segurança novamente para pegar leve com o garoto que acabara de subir no palco. Em resposta ele recebeu um “Fuck you. He’s gone!” (Foda-se. Ele já era!) Kurt gritou algo como: “Foda-se! Vocês todos querem subir no palco? Bem vamos lá, subam!” A multidão invadiu o palco. Dave e os seguranças saíram ao perceber que as cerca de 500 pessoas eram demais para serem contidas. Kurt e Krist ficaram ali, agarrando seus instrumentos contra seus corpos. O proprietário do Mississippi Nights chamou a polícia por medo de um tumulto maior. Após cerca de 15 ou 20 minutos de caos, já com a policia presente, Krist perguntou à multidão se poderiam deixar o palco para que o Nirvana tocasse mais algumas musicas. O publico desceu, as luzes se acenderam e o show continuou por mais 45 minutos aproximadamente sem problemas adicionais. Ninguém foi preso e a policia até assistiu ao restante do show.
O Mississippi Nights ficou aberto até mais tarde naquele dia para que o Nirvana pudesse terminar seu set.

Infelizmente não existem registros conhecidos deste ̶c̶a̶o̶s̶ show. Nem fotos, nem áudio, nem vídeo. O setlist também é incerto. Apesar de existir um set escrito a mão (provavelmente por Dave, com base na caligrafia) atras de um flyer dos shows de novembro no clube, a banda pode ter tocado outras musicas alem dessas. “Jesus Wants Me For A Sunbeam”, “Aneurysm”, “Drain You”, “School”, “Floyd The Barber”, “Smells Like Teen Spirit”, “About A Girl”, “Breed”, “Polly”, “Sliver”, “Love Buzz”, “Come As You Are”, “Been A Son”, “Negative Creep”, “On A Plain” e “Blew” são as musicas listadas no setlist“Lithium” e “Territorial Pissings” também podem ter sido tocadas, de acordo com um review do show. Também de acordo com relatos, “Smells Like Teen Spirit” teria sido tocada duas vezes.

Muitas das informações acima (a maioria delas) são baseadas em relatos feitos por pessoas que estiveram no show e compartilham suas experiencias no grupo do Facebook, Mississippi Nights Fan Page. Deste mesmo grupo vem as fotos mostradas abaixo (setlist, ingresso, anuncio do show). A baqueta da foto teria sido usada no show. Mike Platke pulou no palco naquela noite e a pegou. Alguns membros do grupo também afirmam que o show foi gravado em vídeo e outros dizem possui-lo. Mas até agora nada foi divulgado para o publico em geral. Vale lembrar também que o esforço e insistência de Jonathas Formaggio tem ajudado muito a recuperar essas “lembranças perdidas” sobre os shows do Nirvana. Gratidão eterna pelo empenho!

Nirvana no Mississippi Nights – Curiosidade

Durante um show do Foo Fighters, em 20 de Junho de 2008 no Scottrade Center, cidade de St. Louis, Dave Grohl cita “a revolta do Nirvana no Mississippi Nights” como uma de suas memórias favoritas dos tempos de baterista na banda. Confira:

"Boddah"

Fã de Nirvana desde a primeira vez que o peso de "Bleach" entrou por meus ouvidos. Antes de tudo, um curioso insaciável. Pesquiso para aprender, escrevo para compartilhar o que aprendi."A curiosidade matou o gato, mas a satisfação o trouxe de volta!"
Fechar Menu